Vivemos a década mais quente da história do Planeta

Segundo a Organização Meteorológica Mundial (OMM) a última década – encerrada em 2020 – foi a mais quente que se tem registro da temperatura da Terra. Os dados de 2020 ainda não foram todos compilados, mas já sabemos que o ano passado estará entre os três anos mais quentes da história.

Falando de mês, novembro do ano passado chamou atenção. Ele foi considerado o mais quente já registrado. Isso porque as temperaturas ficaram 0,7ºC maiores que a média do mês calculada num período de 1981 e 2010. Superou em 0,13ºC novembros de 2016 e 2019 que eram até agora os mais quentes.

Maiores temperaturas

Aqui vale chamar atenção para um fato. As maiores temperaturas da história estão acontecendo nos últimos anos. O ano mais quente da história foi 2016. Muitos pesquisadores explicaram que além da ação humana, o El Niño – o fenômeno aumenta a temperatura do planeta – ocorrido nesse ano ajudour a trazer a média pra cima.

Porém, em 2020 tivemos um La Niña – fenômeno que diminui a temperatura – e mesmo assim o ano passado teve meses – como novembro – sendo os mais quentes da história.

Depois que os dados do ano passado forem compilados, muito provavelmente o ranking dos anos mais quentes da história ficará assim:

2016

2020

2019

Se aumentarmos esse ranking até os 6 mais quentes, todos estarão de 2015 pra cá.

Tendência de maior aquecimento

Em média num comparativo com o período pré-industrial (1850 a 1900) a temperatura tem ficado 1,2°C acima. Porém, pesquisadores alertam que no ritmo que estamos em 2024 – daqui apenas 4 anos – essa temperatura poderá ficar 1,5°C acima do período pré-industrial.

Consequências aparecem nas mudanças climáticas

Novamente chamo atenção. Não confundam aquecimento global com mudanças climáticas. Causa e consequência. Quando se fala em aquecimento da Terra não está se dizendo que não haverá frio. Períodos quentes e frios sempre irão existir. Temos as estações do ano. O que ocorre é que a elevação da temperatura do planeta irá acentuar esses extremos.

Lembra, da enxurrada de dezembro em Santa Catarina?

Foi em Presidente Getúlio na noite do dia 16 para o dia 17. Mais de 20 mortos pela grande quantidade de chuva que criou forte correnteza na cidade. Esse tipo de evento extremo deverá ser cada vez mais frequente com o aquecimento do planeta.

Em 2019 foi publicado um trabalho cientifico – Extreme precipitation expected to increase with warming planet – que mostrou que entre 2004 e 2013 tivemos 7% mais casos de chuva extrema, especialmente na América do Norte, Europa, Rússia, China e Austrália.

Fonte: Jornalismo Rádio Caçanjurê/Leandro Puchalski
Foto: Ilustração