Vereadores de Caçador repercutem medidas implantadas na educação

Impasse no pagamento da regência de classe dos professores foi um dos assuntos abordados

A Secretaria Municipal Educação de Caçador deverá iniciar nos próximos dias aulas online para os alunos da rede municipal, a exemplo do que já acontece nas escolas estaduais. A informação foi divulgada pela Vereadora Cleony Figur (PSD) durante sessão ordinária desta segunda-feira, 4, e após reunião com os representantes da pasta.

Segundo ela, o sistema virtual de ensino já está sendo elaborado e o próximo passo será a montagem das turmas para o espaço online. Além disso, a ideia é continuar utilizando esta ferramenta após o retorno das aulas presenciais, visando às atividades de reforço escolar.

Cleony disse ainda que o início das aulas on-line legitimará o pagamento da regência de classe aos professores, que acabou gerando polêmica no mês passado com a paralisação das aulas.

Informando que nesta terça-feira, 5, procuraria a Secretaria de Educação para saber quais as medidas seriam adotadas com relação aos alunos que não possuem acesso à internet, a Vereadora Sirley Ceccatto (PSDB) questionou se a colega Cleony obteve esta informação durante a reunião. Recebeu como resposta que a exemplo do que acontece na rede estadual, atividades impressas serão disponibilizadas para estes estudantes, além de outras medidas que cada unidade escolar deverá tomar para que o ensino não fique prejudicado.

O vereador Marcos Creminácio (PDT), que na semana passada já havia abordado a questão da regência de classe, afirmou que mesmo estando em período de pandemia, a Secretaria de Educação não está isenta de cumprir a lei. Lembrou que os valores não gastos com o transporte e merenda escolar têm que ser reaplicados na educação, não podendo ser utilizados para outras áreas.

Sobre a necessidade de se economizar devido à queda na arrecadação, o parlamentar destacou que a economia deve ser iniciada pelos cargos em comissão, seguido de controle rígido das despesas em algumas secretarias que não possuem serviços essenciais neste momento, para concentrar os esforços nas áreas da saúde, educação, infraestrutura e assistência social.

Já o vereador Rubiano Schmitz (PP) classificou como equívoco do Executivo querer que o servidor, especialmente da Educação, “pague a conta” pela queda na arrecadação municipal devido ao coronavírus.

“Falo isso no que se refere ao pagamento da regência de classe dos professores, ameaçado devido à paralisação das aulas. Penso que se for para efetuar cortes, há outras maneiras de fazê-los sem tirar direitos dos servidores, conquistados com muita luta ao longo dos anos”, completou.

Fonte: Ass. Imp. Câmara Municipal de Caçador
Foto: Ass. Imp. Câmara Municipal de Caçador