Sem poder trabalhar, comerciantes falam sobre crise causada pela pandemia

Tito e Volnei destacam que o prejuízo é certo. Nicole Alice encontrou uma forma criativa de envolver os funcionários; o sociólogo Pedro Paulo Baruffi analisa o cenário

O isolamento social devido à pandemia de Covid-19 já reflete no varejo local. Lojistas de todos os segmentos sentem os impactos de não poder abrir as portas e temem que futuramente não haja recursos para pagar as contas. Na prestação de serviços, nem o delivery pode ajudar. É o caso do cabeleireiro Valderi Capristano, mais conhecido como Tito. Ele fala das incertezas sobre o futuro.

 

Para o comerciante Volnei Lazarini, do ramo de calçados e confecções, a maior preocupação é com a folha de pagamento dos funcionários.

 

Uma empresa do ramo de acessórios para celulares em Caçador encontrou uma forma produtiva de se adaptar a quarentena. Aproveitando o tempo disponível, os funcionários tem passado por aulas de desenvolvimento de inteligência emocional, A gerente da loja, Nicole Alice, comenta sobre o projeto com os colaboradores e a importância de cuidar da saúde mental.

 

Segundo o sociólogo Pedro Paulo Baruffi, as conseqüências da pandemia serão sentidas por anos, e o Brasil precisará traçar uma nova forma de crescimento.

 

 

 

Fonte: Jornalismo Rádio Caçanjurê
Foto: Andrielli Zambonin / Rádio Caçanjurê