“Se não houver consciência, não vamos conseguir atender os pacientes”, diz secretário

Afirmação foi dada durante entrevista coletiva na tarde desta terça-feira, 13

O aumento das internações causadas pelo coronavírus volta a preocupar as autoridades sanitárias. Em Caçador, o Hospital Maicé, está com 100% da UTI ocupada, e a enfermaria para pacientes Covid aumentou de 16 para 30 internados nas últimas horas.

A situação alarmante obrigou a Secretaria Municipal de Saúde a fazer um apelo para a adoção das medidas de prevenção, principalmente entre os jovens. “É preciso seguir as medidas preventivas, máscara, álcool gel e distanciamento. Peça ao seu amigo, por favor, use máscara, não vamos fumar esse narguilé juntos, não é época disso, não precisamos dividir a cerveja, o copo, por isso precisamos dos jovens, quem faz a revolução no mundo são eles”, afirmou o secretário Roberto Marton durante entrevista coletiva.

A realidade da alta nas internações é quase que compartilhada por outros municípios da região como Videira, Joaçaba e Campos Novos, que também convivem com falta de leitos, falta de respiradores e profissionais de saúde. “No Maicé, temos 12 leitos exclusivos de Covid, mais cinco rotativos na emergência, sendo três da Covid, ou seja, são 15 respiradores. O hospital conseguiu mais três respiradores e chegará aos 18. Porém não existem profissionais disponíveis, um problema enfrentado em todo o Brasil, e se algum equipamento quebrar é um respirador a menos”, salientou Marton.

Além da falta de profissionais e leitos, outro problema enfrentado é o transporte de pacientes. Com as unidades sobrecarregadas, os casos graves precisam ser enviados para outras regiões. “Nós temos o SAMU para fazer o transporte de um paciente que necessite de entubação, porém não existe no Estado ambulância suficiente para todo mundo, então é preciso considerar que, além das vagas, existe a questão do transporte, do médico dentro da ambulância”, lembrou.

A estimativa da área da saúde é que os números continuem aumentando nos próximos dias já que no Ano Novo houve mais confraternizações entre grupos familiares distintos. “Precisamos de uma mobilização em conjunto, a conscientização, cada um ser multiplicador do que nós estamos pedindo. Se não houver essa consciência social não vamos ter como atender os pacientes”.

O maior desafio, segundo o secretário Roberto Marton, é estar com a população ao lado. “As ações técnicas estão sendo adotadas dentro dos protocolos, mas precisamos entender que é um momento de conscientização e isso não é criar situação de terror porque não temos necessidade disso, os números estão aí, crescendo assustadoramente”.

O apelo da área da saúde é pela conscientização, já que os protocolos necessários estão sendo adotados, mas é preciso da ajuda de todos nesse período. “O nosso pedido é humanitário, que cada pessoa saiba que quando ele está numa festa, ou com amigos, sem máscara, ele pode contaminar no futuro o seu pai ou a sua mãe. Eu pergunto, qual a sensação de chegar em sua casa e encontrar um familiar próximo doente porque você contaminou ela. O que você vai sentir? É isso que eu peço, consciência”, finalizou o secretário.

Confira a repercussão em vídeo que foi ao ar no RBV Notícias

Fonte: Jornalismo Rádio Caçanjurê
Foto: Ass. Imp. Prefeitura de Caçador