Santa Catarina tem maior alta de mortes por coronavírus em 24h e ultrapassa 7 mil casos

Santa Catarina já soma 7.016 pessoas contaminadas pelo novo coronavírus e 121 mortes, dos quais 4.101 pacientes já estão recuperados. A alta é de 141 casos e 12 mortes com relação ao dia anterior. Esta é a maior alta em mortes desde o início da pandemia.

Os casos confirmados estão distribuídos em 195 municípios e as mortes em 51 cidades. Os dados foram repassados pelo secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, nesta terça-feira (26).

O epicentro ainda é Chapecó, que concentra 735 confirmações, seguida por Florianópolis, com 628, e Concórdia, com 503. Até agora foram 26 mil testes realizados pelo Lacen (Laboratório Central), que ainda possui 342 testes em análise.

Os leitos disponíveis em Santa Catarina permanecem em 1.210, com concentração no Nordeste e Planalto Norte (280) e na Grande Florianópolis (237).

“Nós tivemos óbitos em algumas faixas etárias bastante específicas, mas a grande maioria ainda é na faixa etária mais suscetível, na faixa etária de 60 anos e com comorbidades”, afirmou Motta.

Índice de isolamento volta a cair
O isolamento social, que havia sido elogiado pelo secretário na segunda (25), por estar próximo a 50% – refletindo o comportamento do fim de semana -, voltou a cair, ficando em 38,6%, considerando os dados da segunda-feira.

Com esse panorama, Santa Catarina é o 23º estado em isolamento social, à frente apenas de Goiás, Mato Grosso do Sul, Tocantins e Paraná. Na outra ponta, Amapá, Acre, São Paulo, Pernambuco e Ceará possuem os índices mais altos.

Segundo o secretário, a população deve “entender que só iremos sair de casa em uma situação de extrema necessidade. Esse é um momento extremamente delicado, o estado tem tido sucesso nesse enfrentamento até então, mas os nossos cenários apontam para uma aceleração da transmissão desse vírus. Ele é um inimigo ainda desconhecido de todos”,

No ponto mais baixo, o isolamento ficou em 37,5%, no dia 20 de maio. Desde o início do mês, a aderência à quarentena ficou entre 37% e 40% nos dias de semana, número considerado preocupante pelo secretário de saúde, que aponta a faixa entre 60% e 70% como índices ideais, com efetividade no combate ao coronavírus.

De 21 a 26 de março o estado teve alta nesse quesito, ultrapassando os 60%, com pico no dia 22, com 72,8%. Alguns dias depois, nos dias 28 e 29, ultrapassaram os 60%, o que também ocorreu no dia 5 de abril. Contudo, desde então o estado não registra altas.

Fonte: Jornalismo Rádio Caçanjurê/NDmais
Foto: Ilustração