Justiça catarinense decreta falência da Pomi Frutas

Empresa salientou que a decisão não é definitiva e está sujeita a recursos

A Pomi Frutas informou nesta semana que a 1ª Vara Cível da Comarca de Fraiburgo decretou a falência da empresa e de sua subsidiária, Pomifrai Fruticultura.

Com a decisão de falência da Pomi Frutas, os bens arrecadados serão utilizados para saldar eventuais dívidas. O magistrado concedeu a continuidade das atividades de colheita da safra atual até 30 de abril, quando a empresa será lacrada.

Em 2003, a Renar Maçãs, atual Pomi Frutas, exportou nove mil toneladas de maçãs, batendo recorde em receita para esta atividade no PaísA empresa salientou que a decisão não é definitiva e está sujeita a recursos. Neste sentido, a Pomifrutas disse que “adotará tempestivamente as medidas cabíveis no âmbito do processo de recuperação judicial”.

Segundo o Valor Empresas, a Pomi Frutas tem dívidas que somam R$ 63,9 milhões.

Sobre a Pomi Frutas

A empresa foi fundada em 1962 por dois empresários, René e Arnoldo Frey, em Fraiburgo. Em 2003, a Renar Maçãs, atual Pomi Frutas, exportou nove mil toneladas de maçãs, batendo recorde em receita para esta atividade no País.

Segundo o Valor Empresas, a Pomi Frutas tem dívidas que somam R$ 63,9 milhões.A empresa abriu capital em 2005 e em 2009 realizou um aumento de capital. Foi a primeira empresa do ramo alimentício a entrar no Bovespa Mais, segmento feito para incentivar empresas de pequeno e médio porte a abrirem capital.

Por conta do grande número de investidores estrangeiros, o projeto feito para “mini-IPOs” acabou não dando certo. Além disso, os investidores brasileiros também não estavam tão confiantes na ideia.

A Pomifrai foi incorporada junto a sua subsidiária Pomifrai Alimentos pela Renar Maçãs em 2009. Em 2011, a empresa aprovou um aumento de capital de até R$ 16 milhões, com a emissão de até 40 milhões de novas ações ordinárias.

A companhia, porém, só começou a ser chamada de “Pomi Frutas” em 2015, quando o comando acionário da empresa foi trocado.

A empresa entrou em recuperação judicial em janeiro de 2018, com dívidas que chegavam a R$ 30 milhões.

Fonte: Jornalismo Rádio Caçanjurê com informações Yahoo Finanças
Foto: Divulgação/Pomi Frutas