Governador e presidente da Fecam debatem estratégias para combate à pandemia

Durante o encontro, a Fecam apresentou ainda a proposta de aplicação de R$ 35 milhões na rede hospitalar

O governador Carlos Moisés recebeu representantes da Federação Catarinense de Municípios (Fecam) para um encontro na tarde desta terça-feira, 19, em Florianópolis. Na reunião, tanto o presidente Saulo Sperotto, prefeito de Caçador, quanto o 1º vice-presidente Orildo Severgnini, prefeito de Major Vieira, defenderam a ampliação do diálogo para a construção de estratégias do combate à Covid-19.

Nesse sentido, o Governo do Estado se comprometeu a apresentar aos prefeitos, nos próximos dias, uma ferramenta que analisa a situação da pandemia de maneira regionalizada, o que ajudará na tomada e compartilhamento de decisões dos entes públicos.

“Vamos mostrar essa ferramenta de controle epidemiológico com os dados que serão transferidos de maneira muito transparente para os municípios, para que eles possam olhar a situação nas suas regiões. É preciso unir as forças e, com as ferramentas que o Governo disponibiliza, a tomada de decisões pode ser a mais cirúrgica possível”, afirmou o governador após o encontro.

Na avaliação do presidente Saulo Sperotto, a interação entre os entes estadual e municipal é fundamental para que os prefeitos tenham à disposição a melhor informação possível na hora de tomar uma decisão.

“Os municípios catarinenses precisam das informações, com dados técnicos e a orientação sanitária do Governo do Estado. Essa integração com o Poder Executivo estadual e os prefeitos é essencial no combate à pandemia. Também é necessário que se passe as atribuições aos municípios para que eles possam cuidar de toda a sua população”.

Durante a reunião, a Fecam apresentou ao governador a proposta de um grupo de trabalho para debater o retorno das aulas, com a criação de um protocolo. Segundo os dirigentes municipais, não se trata de um pedido de volta imediata, mas para que todos estejam preparados quando ocorrer o retorno.

A Fecam apresentou ainda a proposta de aplicação de R$ 35 milhões referentes à suspensão de uma dívida do BNDES na rede hospitalar. O governador irá analisar o pedido.

Fonte: sc.gov.br
Foto: Mauricio Vieira/Secom