Governador anuncia R$ 206 milhões em bolsas de estudo

Evento de anúncio do repasse teve a presença do reitor da Uniarp, Anderson Antônio Mattos Martins

O governador Carlos Moisés anunciou investimentos de R$ 206,4 milhões em 2020 para bolsas a estudantes de graduação, especialização, mestrado e doutorado pelo Programa de Bolsas Universitárias de Santa Catarina (Uniedu). No mesmo ato, realizado nesta segunda-feira, 17, em Florianópolis, foi apresentada a nova regulamentação do Uniedu, que vai permitir o atendimento de mais estudantes.

“Esses recursos são de grande importância, para que os alunos possam estudar gratuitamente ou tenham ao menos parte do curso coberto pela bolsa de estudo. É um esforço do Governo de Santa Catarina, dinheiro dos catarinenses aplicado para quem estuda aqui no estado”, ressaltou Carlos Moisés.

O evento teve a presença do professor Dr. Anderson Antônio Mattos Martins, reitor da UNIARP. Ele participou do ato junto com outros Reitores do Sistema ACAFE.

O governador também destacou o momento histórico da assinatura do decreto, que dita as regras para que a sociedade faça melhor uso do benefício. “O regulamento traz transparência ao processo. A partir de agora, o estado e as universidades são obrigados a divulgar em seus portais quais são os alunos beneficiados. Também estamos dando uma abrangência maior a estes recursos, atendendo um número maior de estudantes”, afirmou.

Também participaram do ato a vice-governadora Daniela Reinehr, o chefe da Casa Civil, Douglas Borba, o secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli, os deputados estaduais Valdir Cobalchini, Rodrigo Minotto, Paulinha e Jerry Comper. A solenidade foi acompanhada por gestores do Governo de Santa Catarina, reitores, profissionais das universidades e estudantes.

Benefícios aos bolsistas

Um dos principais benefícios da nova regulamentação para o estudante escolhido é que ele garante bolsa para toda a duração do curso, programa ou projeto de pesquisa, enquanto antes havia necessidade de participar de um novo processo seletivo a cada semestre. O aluno precisará apresentar a cada semestre a documentação pessoal e o desempenho acadêmico satisfatório para manter o desconto.

A seleção de bolsistas será feita com base na avaliação do grau de carência dos candidatos participantes do edital, utilizando como parâmetro o Índice de Carência (IC) calculado pelo Sistema de Cadastro do Uniedu. O percentual de auxílio varia de 25% a 100% da mensalidade paga pelo aluno, com valor limite de um salário mínimo para bolsa de pesquisa e extensão e de dois salários mínimos para as demais modalidades.

O secretário de Estado da Educação, Natalino Uggioni, destacou que a nova regulamentação busca facilitar o acesso do estudante ao ensino superior e eliminar entraves burocráticos para a melhora da qualidade na educação. “Uma das mudanças é a garantia de que o estudante inicie e conclua a graduação com o apoio do estado. Outra é a abrangência de um número maior de alunos. Um terceiro ponto é permitir aos estudantes que trabalhem em projetos de interesse da sociedade. O que estamos fazendo, na verdade, é cuidar bem dos recursos que são investidos na educação”, afirmou.

Mais transparência

Outra alteração importante é a abertura para consulta pública de diversas informações do processo de seleção. Haverá uma página on-line com a relação das instituições de ensino credenciadas, dos estudantes cadastrados e recadastrados, dos cursos oferecidos e das bolsas de estudos concedidas e disponíveis.

No momento do recadastro, o aluno que tiver alteração no Índice de Carência e registrar mudança na faixa de auxílio da bolsa receberá a porcentagem mediana de desconto na mensalidade. Entretanto, o estudante não perderá o benefício mesmo que a mudança o deixe fora do Índice de Carência – neste caso, passaria a receber bolsa com 25% de desconto sobre a mensalidade.

Seleção a partir de março

Os alunos interessados em participar do programa podem se cadastrar no site do Uniedu durante o ano inteiro. A classificação baseada no Índice de Carência é atualizada diariamente. A seleção dos estudantes beneficiados será feita a cada ano ou semestre, dependendo da instituição de ensino.

A próxima seleção de bolsas será feita na segunda quinzena de março. Os estudantes contemplados saem automaticamente da lista de classificação, garantem o direito à bolsa, e a lista é atualizada com os demais candidatos para o próximo período de seleção.

27 mil estudantes beneficiados em 2019

O programa Uniedu beneficiou 27.669 estudantes em 2019, sendo 25.818 em cursos de graduação, 1.342 de especialização, 320 de mestrado e 189 de doutorado. O número de bolsas é 60% maior em relação ao ano anterior, quando foram 17.559 alunos contemplados, sendo 16.127 para cursos de graduação e 1.432 para cursos de pós-graduação.

O valor investido também aumentou de forma considerável. O valor com bolsas de estudo para cursos de graduação cresceu de R$ 96 milhões em 2018 para R$ 185 milhões em 2019, alta de 92% no período de apenas um ano. Já o investimento em bolsas de pós-graduação alcançou R$ 12,8 milhões em 2019.

 

Fonte: Ass. de Comunicação da Secretaria de Estado da Educação
Foto: Divulgação