Em uma semana, Caçador registra 72mm de chuva

Os números entre os dias 17 e 22 de janeiro são maiores que o acumulado em todo o mês

Se a estiagem castigou os produtores e a comunidade no ano passado, com cidades em situação de emergência devido ao baixo volume de água, o início de 2020 é marcado pelo aumento das chuvas, inclusive causando transtornos para municípios de Santa Catarina.

Em Caçador, segundo dados da Epagri/Ciram, em uma semana foi de 72mm de chuva nas estações meteorológica na Linha Cará e Rio Bugre. Os números registrados entre os dias 17 e 22 de janeiro são maiores que o acumulado em todo o mês de janeiro.

A chuva volumosa já era aguardada pela Defesa Civil de Santa Catarina que desde o início da semana repassava alertas para o risco de deslizamentos e alagamentos.

“Tivemos alerta para toda a região, mas não houve prejuízos. A previsão apontava mais riscos para o Vale do Itajaí, Norte, Litoral e Sul do Estado, o que acabou se confirmando”, afirma o coordenador da Defesa Civil em Caçador, Sérgio Eloy Bisotto.

Defesa Civil de SC divulga danos em ao menos 22 cidades

O boletim divulgado pela Defesa Civil de Santa Catarina no fim da tarde desta sexta-feira, 22, aponta que a chuva registrada nos últimos dias deixou 46 pessoas desabrigadas. Outras 40 tiveram que deixar as casas e estão com parentes e amigos. Foram registrados danos em ao menos 22 cidades.

Alagamento em Benedito Novo (Foto: Juliana Butzke)

Conforme o boletim, abrigos foram abertos em quatro cidades, todas elas no Vale do Itajaí: Timbó (14 desabrigados), Benedito Novo (sete desabrigados), Rodeio (seis desabrigados) e Doutor Pedrinho (16 desabrigados).

Alerta segue para este sábado

Segundo a Defesa Civil, Santa Catarina segue com chuva e risco de alagamentos e deslizamentos ao longo deste sábado, 23, principalmente no Centro-leste.

Conforme o órgão, a condição para chuva de moderada a forte continua, principalmente durante a tarde e a noite.

Deslizamento de terra em Blumenau

“Essa chuva prevista de grande quantidade e intensidade poderá sim ocasionar situações como deslizamentos, desmoronamento e alagamento em virtude do aumento do nível dos rios”, avalia Bisotto.

Fonte: Jornalismo Rádio Caçanjurê
Foto: Rádio Caçanjurê