Apesar da frustração sem ter luta, Junior Cigano destaca lado positivo da quarentena

Peso-pesado valoriza esse tempo ao lado dos seus dois filhos e sua esposa

Assim como a maioria dos lutadores do mundo, Junior Cigano também convive com a situação de quarentena, o que o obriga a ficar afastado da academia e sem perspectiva de quando voltará a pisar no octógono mais famoso do mundo.

No entanto, o ex-campeão do peso-pesado do UFC, que atualmente mora nos Estados Unidos, não se deixou abater pela frustração de não poder lutar e viu um lado positivo de ficar em casa.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, o peso-pesado, apesar de destacar a tristeza por não ter um horizonte de quando vai poder se apresentar novamente, ainda mais vindo de derrota, valoriza esse tempo ao lado dos seus dois filhos e sua esposa.

“Tenho feito uns treinos em casa, meu preparador físico enviou alguns exercícios para fazer, dou uma corridinha. Tento me manter ativo o máximo que posso. Tem sido muito bom poder ficar em casa com minha família, meus filhos”, disse.

Cigano e os filhosMas esse período de pausa não foi só bom para Cigano no âmbito familiar. O lutador também destacou que essa fase pode ser benéfica para ele poder ter algum adversário na categoria.

“Eu queria lutar com o Volkov, pois a gente ia lutar na Rússia e não aconteceu, mas ele queria enfrentar o Curtis Blaydes. Só que o Blaydes tinha negado essa luta e eu tinha achado ótimo. Mas parece que ele voltou atrás e ficamos sem opção. A maioria dos atletas já estava com luta marcada”, explicou.

Na última terça-feira, Dana White, presidente do UFC, admitiu que tem o plano de realizar eventos em uma ilha, ainda de local desconhecido. Atento ao discurso do patrão, Junior Cigano se mostrou empolgado em lutar numa situação dessas e comparou com história de cinema.

“Seria incrível. Ele levaria os atletas para se prepararem lá. Se realmente rolar isso é coisa de filme tipo aquele do Van Damme, o Grande Dragão Branco, que eles levavam os atletas para uma ilha (risos). Independente de ganhar ou perder, isso que nos toca a vida. Amo lutar. Mas quando passar isso tudo, liberar tudo, quero ser o primeiro a chegar ao UFC e pedir luta. Não vejo a hora de lutar”, finalizou o ex-campeão.

Cigano em treinamento na American Top TeamCigano possui um cartel de 21 vitórias e sete derrotas. Seu principal momento na carreira aconteceu em 2011, quando derrotou Cain Velásquez e sagrou-se campeão dos pesados do Ultimate. Em sua última apresentação, em janeiro deste ano, o lutador acabou superado por Curtis Blaydes.

Fonte: Carlos Antunes/Ag. Fight
Foto: Arquivo Pessoal/Junior Cigano