Apagão seria menor se torres em Tangará estivessem operando

A Presidente da Celesc admitiu em entrevista a RBV Rádios que torres que caíram em Tangará em 2020 poderiam amenizar a falta de luz na região

A diretora de finanças e presidente interina da Celesc, Claudine Anchite, conversou ontem com o jornalismo da RBV Rádios, e explicou qual foi o trabalho realizado pela estatal para restabelecer a energia elétrica na região, que ficou 95 horas sem luz, depois que um tornado derrubou torres de transmissão de alta tensão.

Claudine também admitiu que as torres que caíram em Tangará em 2020 poderiam amenizar a falta de luz na região. Ainda ponderou quais ações devem ser tomadas para evitar que uma situação como essa aconteça de novo.

ASSISTA A REPORTAGEM DE MURILO ROSO E RAMON GABRIEL

Assista a entrevista completa: CLIQUE AQUI

Fonte: RBV Notícias

Fonte: Jornalismo Rádio Caçanjurê
Foto: Jornalismo Rádio Caçanjurê